Menu fechado

O Retorno de Mary Poppins | Cinema como não se faz mais

 

Há uns bons 25 anos, a empresa onde minha mãe trabalhava tinha uma espécie de clube do vídeo, onde os funcionários podiam levar para casa fitas dos mais variados filmes. Mãe de duas crianças, não raro minha mãe trazia alguma animação da Disney, e entre elas Mary Poppins. Assistir ao Retorno de Mary Poppins trouxe de volta toda essa nostalgia.

O Retorno de Mary Poppins chegou aos cinemas 54 anos depois do primeiro filme, e é um filme controverso. Reza a lenda que a criadora da personagem, Pamela Lyndon Travers, não ficou muito feliz com a versão de 56, o que, de certa forma, tornou inviável uma sequência, mas o carisma da personagem foi mais forte.

Como fazer uma sequência de um filme onde a atriz protagonista está 54 anos mais velha? Para essa missão, escalaram Emily Blunt para o papel.

Confesso que fui com certo preconceito ao cinema. Onde já se viu, só existe uma Jullie Andrews!

Mas foi só Emily Blunt aparecer como Mary Poppins pela primeira vez, com sua entrada triunfal, e a dúvida foi embora. A personagem, que já está no subconsciente de diversas gerações, é muito mais do que sua interprete.

Pra mim é quase como uma entidade, algo difícil de explicar. Então, dá para dizer que Emily Blunt faz jus ao personagem, principalmente no olhar.

As primeiras cenas de seu retorno, quando você começa a entender a relação entre os personagens, já deixam claro que Emily foi a melhor escolha.

O caso de O Retorno de Mary Poppins é diferente. Em tempos onde a moda do live action chegou com tudo, descaracterizando alguns personagens clássicos (veja o horrível Lumière de A Bela e a Fera, ou até mesmo os animais realistas de O Rei Leão que vem por aí), a graça desse novo filme é justamente sua fidelidade com o conceito original.

As animações 2D estão lá, as músicas e cenas de dança, tudo o que encantou quem assistiu ao primeiro filme se faz presente em versões mais bem acabadas, digamos assim.

Aí depende. Se você é do tipo de pessoa que curte uma nostalgia e gostou do original, o filme será uma ótima experiência.

Mas se você não tem muita paciência com filmes mais “tradicionais” e sem piadas espertas à lá Pixar, talvez O Retorno de Mary Poppins não é para você.

Nota

⭐⭐⭐⭐⭐ – Eu claramente faço parte do primeiro tipo de pessoa. 😉

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *